16 de janeiro de 2010

ONU declara: o terremoto no Haiti é o pior desastre da história


Uma porta-voz da Organização das Nações Unidas (ONU) afirmou, neste sábado, em Genebra, que o terremoto no Haiti é o pior desastre que a ONU já enfrentou em sua história.

"Esse é um desastre histórico. Nós nunca fomos confrontados com esse tipo de desastre na memória da ONU. É como nenhum outro", disse Elisabeth Byrs, porta-voz do Escritório de Coordenação de Assuntos Humanitários da Organização.

De acordo com ela, a dificuldade ser deve aos problemas de logística por conta do colapso do governo local e da completa destruição da infraestrutura - o aeroporto está saturado, as ruas bloqueadas, os hospitais têm poucos ou nenhum médico e poucas construções suportaram os tremores.

Byrs comparou o desastre com o tsunami que atingiu a Indonésia em 2004 e afirmou que a situação em Porto Príncipe é "tão ruim quanto ou pior"..

"O desastre é enorme e tão enorme quanto foi o tsunami, talvez pior porque todo o país foi decapitado, os prédios do governo desmoronaram e nós não temos o apoio da infraestrutura local. Na Indonésia nós tínhamos pelo menos o apoio de algumas autoridades locais", disse.

O ministério do Interior do Haiti afirmou que o governo já havia coletado 50 mil corpos até sexta, dia 15/01. Esse número não inclui os corpos recolhidos pelas agências internacionais que trabalham em Porto Príncipe.

"Nós já recolhemos cerca de 50 mil corpos. Nós antecipamos que teremos entre 100 mil e 200 mil mortos no total, mas nunca saberemos o número exato", disse o ministro do Interior, Paul Antoine Bien-Aime, à agência Reuters.

Já o primeiro-ministro haitiano, Jean-Max Bellerive, afirmou à agência de notícias Associated Press que "um total final de mortos de 100 mil parece ser o mínimo".

A ONU estima que cerca de 300 mil pessoas ficaram desabrigadas devido ao terremoto.

Agências ligadas à organização acreditam que 3,5 milhões de pessoas no país estão dependendo de ajuda humanitária para sobreviver.

A organização afirma que uma em cada dez casas da capital, Porto Príncipe, foi destruída pelo terremoto de magnitude 7.

Já o Comitê Internacional da Cruz Vermelha sugere que cerca de 70% dos edifícios de Porto Príncipe foram destruídos no terremoto que abalou o Haiti.

Nenhum comentário: